Tipos de eletrodo: 10 modelos que podem ser úteis na soldagem!

Tipos de eletrodo: 10 modelos que podem ser úteis na soldagem!

Com uma história de tradição no processo de unir estruturas metálicas por meio de corrente elétrica, desde 1865 diversos profissionais têm usado essa tecnologia em diversos campos de atuação! Contudo, foi somente em 1890 que os diferentes modelos de eletrodos surgiram no mercado, ou seja, mais de 20 anos depois.

Mesmo com um legado de referência, muitas pessoas ainda se perguntam sobre quais os tipos de eletrodos disponíveis para solda. Seja na montagem de equipamentos, manutenção ou reparos, os eletrodos revestidos continuam fazendo sucesso. Mesmo após inúmeros avanços tecnológicos e novas abordagens funcionais, ainda é possível usá-los e garantir sucesso na aplicação!

Você sabe quais são os tipos de eletrodos disponíveis no mercado? Nós da Casa do Soldador elaboramos uma lista com 10 modelos mais usados na área da soldagem, além de também disponibilizamos diversas informações que podem te ajudar na escolha do mais adequado!

Quer ficar por dentro de todo o conteúdo e sair daqui um especialista em tipos de eletrodos para solda? Continue rolando a página e vem conferir o conteúdo completo!

10 modelos de eletrodos revestidos para solda!

Os eletrodos revestidos são fortes e garantem mais qualidade na soldagem. Capazes de unir chapadas que podem ir de espessuras de 3 a 40 milímetros, eles podem ser usados tanto em construções e para soldas por gravidade, como no caso de estaleiros, por exemplo.

De maneira geral, os eletrodos revestidos servem para fazer uma solda a arco elétrico. Isso quer dizer que o processo acontece por meio de um aquecimento entre as partes que serão ligadas. Contudo, ao escolher o modelo mais adequado, alguns aspectos precisam ser considerados.

Por exemplo, é preciso prestar atenção em qual liga metálica será soldada, de que forma ocorrerá a atividade, que pode ser soldagem, goivagem, dentre outros, qual será o processo usado para fazer a ligação, e quais as características do espaço em que ocorrerá o processo de soldagem.

eletrodos de solda acumulados

Isso quer dizer que, por mais que existam diversos tipos de eletrodos, todos eles trabalham para uma mesma finalidade: que é a união entre metais para formar uma única liga metálica. Mas como esses eletrodos são constituídos?

Bem, os eletrodos são formados por duas camadas. A primeira é chamada de vareta metálica, parte mais importante do produto; e a segunda, formada pelo revestimento.

A vareta metálica constitui o interior do eletrodo e é ela a responsável por conduzir corrente elétrica da origem até a peça, formando assim o arco elétrico. Além disso, ela também tem como função fornecer o material para elaboração da junta.

Já o revestimento – parte que fica fora do eletrodo – é responsável por inúmeras funções, como facilitar a abertura do arco e permitir maior estabilidade, faz a desoxidação do metal de solda, protege contra possíveis contaminações, organiza a composição química do cordão, fazendo uso de elemento para liga e – finalmente – promove maior facilidade para soldar nas mais diversas posições.

Agora que você já conhece as partes que integram um eletrodo revestido, nós vamos apresentar os 10 tipos disponíveis no mercado e explicar a finalidade de cada um! Vem entender mais!

1. E6010 e E6011: soldas do tipo multipasse

Indicados para soldar juntas com baixo teor de carbono e de ligas, também conhecido por juntas de aço doce, os modelos E6010 e E6011 são perfeitos para esse trabalho. Usada para inúmeros tipos de tubulações – inclusive em gasodutos, como construções navais, minerodutos e chapas galvanizadas – elas também são indicadas para soldas do tipo “multipasses”.

2. E6011: estabilização do arco de solda

Muito parecido com o primeiro, esse modelo de eletrodo possui a diferença de ter a necessidade de ser feita a soldagem em corrente alternada, além de possuir potássio na composição. A adição do mineral garante uma maior estabilidade do arco, além da vantagem de eliminar o sopro magnético.

3. E6013: metais de pequena espessura

Sabe a expressão “pau para toda obra”? Esse é o modelo de eletrodo E6013, o mais procurado do mercado. Ele é super indicado para chapas mais finas e estreitas, já que possui um alto índice de dióxido de titânio na composição, e também permite soldagens mais simples, podendo ser usado em caldeiras, serralherias, equipamento agrícolas e tubulações.

4. E6014: chapas finas

soldador utilizando eletrodos de solda

Um favorito quando a necessidade é unir chapas mais finas com um acabamento mais refinado, o modelo E6014 possui características muito semelhantes ao modelo E6013. A penetração é baixa e o índice de hidrogênio é médio, possuindo também na composição dióxido de titânio, o que permite bastante durabilidade na junção.

5. E7018: baixo hidrogênio

Muito indicado para instalações que necessitam de grande durabilidade a rupturas, o modelo E7018 acaba sendo o modelo ideal para essa função. Ele pode ser usado, por exemplo, em vasos de pressão, juntas de aço específicas, na indústria mecânica, edificações e construção naval.

Como ele possui inclusão de pó de ferro na composição do revestimento, o acabamento acaba se tornando mais suave que, por consequência, faz com que existam menos respingos.

6. E7024: altas taxas de deposição

Bastante semelhante em revestimento quando comparado aos modelos E6012 e E6013, o exemplar E7024 possui como diferença a adição de 50% de pó de ferro, tornando o produto muito mais pesado.

Como ele é um produto robusto, fica restrito ao uso em posições mais planas e horizontais. É usado principalmente para aços na construção de perfis, como – por exemplo – virabrequins. O acabamento é outro fator de relevância, pois ele promove uma ligação fina e sofisticada, com excelente rapidez na soldagem.

7. E7028: mais pó de ferro na composição

Muito usado na indústria de edifícios, naval, mecânica e em demais materiais que necessitem de resistência, o modelo E7028 possui 50% de pó de ferro na composição, o que torna esse modelo de eletrodo bastante robusto e pesado.

Assim como seu antecessor, este modelo possui agilidade na soldagem, o que o coloca como um modelo de alto rendimento. Além disso, em relação ao modelo E7018, o E7028 possui transferência por meio de “aerossol”, enquanto – no antecessor – ocorre de maneira “globular”.

8. Ferro fundido: alta resistência e sem fissuras

Constituído por níquel puro, que permite a soldagem do metal a frio ou com nível ameno de pré-aquecimento, o eletrodo de ferro fundido é muito utilizado para reconstruções, reparos de trincados e junções de mesmo material ou bronze, ele também pode ser usado para preenchimento de falhas no momento da fundição.

9. Alumínio: reparos de peças

Excelente quando não há necessidade de um acabamento refinado, esse tipo de eletrodo é perfeito para conserto de peças em alumínio. Cilindros, ventiladores, chapas de base, perfis laminados, encaixes e telas, podem ser reparados muito bem fazendo uso de revestimentos e alumínio.

soldador utilizando eletrodos de solda

É importante considerar que o reparo deve ocorrer em peças com mais de 2,5 milímetros de espessura, mantendo o arco mais curto e elaborando cordões menores, sem que haja movimentos laterais dos eletrodos.

10. Inox: empregado em diversos segmentos

Os inúmeros modelos de eletrodos para soldagem, que possuem em sua constituição o aço inoxidável, de maneira mais global podem ser caracterizados como resistentes a oxidação, tração, trincas e influência de substâncias químicas.

Normalmente vemos a aplicação em reparos de tubulações de aço inox para produtos químicos e alimentícios, além de serem indicados também para consertos de molas, trilhos e guindaste.

Deu para perceber que existem diversos tipos de eletrodos disponíveis no mercado, e cada um deles – conforme mostramos – é mais indicado para um tipo de trabalho em específico, com materiais especiais para a demanda.

O mais interessante aqui é escolher um produto que atenda a sua necessidade, sem deixar de lado toda a segurança que o processo pede! Por isso, antes de praticar a soldagem, atente-se a usar equipamentos de proteção individual, para garantir que sua saúde seja preservada e você consiga realizar o processo de soldagem de maneira segura!

Aqui na Casa do Soldador prezamos por te deixar sempre bem informado. Por isso, continue acompanhando as nossas informações e novidades do setor de solda, elétrica e muito mais. Nos vemos na próxima!

 

Casa do Soldador

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços e personalizar nossa publicidade. Ao prosseguir navegando, você aceita esta política de monitoramento. Para mais informações, consulte nossa Política de Privacidade