Oxicorte: o que é, quais os benefícios e como fazer?

Oxicorte: o que é, quais os benefícios e como fazer?

Se você deseja saber mais sobre o método oxicorte, chegou ao lugar certo! Essa técnica, muito comum no setor industrial, consiste no corte preciso de objetos metálicos por meio da oxidação – erosão térmica – com espessuras de até 250mm, graças a vigorosa reação química. Essa técnica, que é o aposto da soldagem, afinal, a solda consiste na união de metais, pode ser manual ou mecanizada.

Por mais que pareça um trabalho simples, esse procedimento exige conhecimento e habilidade por parte do operador. Por sorte, aqui no blog da casa do soldador você encontra informações sobre os benefícios e manuseio da técnica oxicorte para sanar todas as suas dúvidas. Então, siga a leitura!

O que é o oxicorte?

Oxicorte é um método de baixo custo utilizado para separar alguns materiais metálicos, por meio da oxidação. Essa reação química, aquecida em até 1450 graus (calor vermelho brilhante), tem a capacidade de fragilizar o material promovendo o corte preciso.

Nesse processo de oxidação, podem ser usados na mistura com o oxigênio substâncias como: gás liquefeito de petróleo, acetileno, butano, propano, entre outros. Esses gases que ficam armazenados em cilindros serão o combustível para produzir as chamas que saem pelos maçaricos – eles são regulados para fornecer a proporção adequada de chamas.

Quais os processos do oxicorte?

Em resumo, para realização da ruptura do material, essa mistura de oxigênio e combustível deve chegar até uma temperatura chamada “temperatura de ignição”. Posteriormente, o metal oxicorte é exposto ao jato de chama que provoca a sua oxidação. Essa reação química produz uma quantidade de calor considerável ao ponto de fundir esse material e assim separá-lo. No entanto, para garantir um corte de alta qualidade é preciso ter experiência na técnica. Veja a seguir o passo a passo:

  1. Coloque o bico de corte de acordo com as características do metal;
  2. Abra as válvulas dos cilindros;
  3. Ajuste a pressão;
  4. Acenda a chama utilize um acendedor apropriado;
  5. Corte o material.

É importante mencionar que esse procedimento exige entendimento por parte do operário durante o manuseio para evitar possíveis acidentes, afinal, os materiais são altamente inflamáveis. Além disso, o uso de Equipamentos de Proteção Individual é imprescindível. Confira a lista do EPI’s que todo operador precisa utilizar:

  • Óculos de proteção;
  • Protetor auricular;
  • Luvas;
  • Mangotes;
  • Aventais;
  • Perneiras;
  • Calçados de segurança;
  • Mantenha vestimentas e EPI’s livre de óleo ou graxa.

Além de utilizar todos os equipamentos de segurança de qualidade e com certificação das normas NR-6, é importante tomar algumas precauções para evitar acidentes e risco de incêndio. Antes de iniciar o manuseio, certifique-se de não há produtos inflamáveis próximo dos equipamentos e faça testes de vazamentos de gás com água ou sabão, a fim de evitar acidentes de trabalho.

Quando iniciar o trabalho, mantenha a atenção e conserve a chama ou fagulha distantes dos cilindros e mangueiras e mantenha a chave na válvula do cilindro, caso precise fechar rapidamente. Ao finalizar, feche as válvulas e verifique toda área e os possíveis focos de incêndio. Outro ponto indispensável é ter no local um extintor de incêndio em condições de uso.

Quais os benefícios da utilização do oxicorte?

O processo oxicorte que provoca a oxidação dos metais mais pesados que promove a separação da base metálica por meio do calor, tem uma série de vantagens consideráveis. Quer saber quais são os principais? Confira abaixo!

  • Produtividade;
  • Lucratividade;
  • Padronização;
  • Qualidade;
  • Espessura até 1000mm;
  • Equipamento portátil;

Qual material pode ser Oxicortado?

Basicamente, essa mistura de gás e combustível é capaz de oxidar amplamente todos os aços, exceto materiais com baixa reatividade ao oxigênio ou não oxidante como cobre, alumínio, latão, aço inoxidável, entre outros. Entretanto, a distribuição de calor pode variar entre 660 °C a 1250 °C, tudo vai depender do tipo de material. Confira no quadro abaixo os tipos e pontos de fusão mais comuns de alguns metais:

Metal Ponto de Fusão
Alumínio 660 °C
Cobre 1083 ºC
Cromo 1890 °C
Ferro 1535 °C
Manganês 1247 °C
Níquel 1450 ºC

Por hoje ficamos por aqui! Esperamos que você tenha aprendido como funciona esse método oxicorte. Continue navegando por nosso blog e confira outras informações relevantes sobre este universo. Toda semana você confere um conteúdo novo com dicas e informações que irão acrescentar ainda mais a sua rotina de trabalho.

Aproveite que está por aqui e conheça o processo de soldagem por resistência, um tipo de soldagem muito presente nas indústrias metalúrgicas e automotivas. Esse processo que ganhou quatro subdivisões é uma escolha assertiva para quem procura otimização e eficiência.

Siga a Casa do Soldador nas redes sociais e fique por dentro das próximas atualizações como essa, que podem impactar positivamente no seu dia a dia. Aproveite e compartilhe nossas informações com outros amigos profissionais da área.

Acompanhe e fique por dentro de tudo!

Casa do Soldador

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços e personalizar nossa publicidade. Ao prosseguir navegando, você aceita esta política de monitoramento. Para mais informações, consulte nossa Política de Privacidade