Estufa para eletrodo: 3 modelos para secagem efetiva!

Estufa para eletrodo: 3 modelos para secagem efetiva!

Estufa para eletrodo: conheça o que é com a Casa do Soldador

Os eletrodos são basicamente pólos condutores que são usados para intermediar a conexão de metais e suas ligas, enquanto transfere elétrons de um para o outro. Assim, na hora de escolher um eletrodo é preciso levar em consideração: tipo de emenda, tipo de metal que será soldado, e qual será a posição de soldagem.

Para facilitar o entendimento, eles podem ser divididos em dois grupos: os eletrodos revestidos, e os sem revestimento. Cada um deles tem interferência em um resultado diferente de soldagem.

No caso do tipo sem revestimento, existem maiores limitações no uso em função de certa instabilidade do formato. Enquanto nos revestidos existe um nível de proteção mais elevado, que preserva o conteúdo e elementos importantes para a soldagem.

Neste post discutiremos pontos relevantes para a escolha da melhor estufa de ressecagem de eletrodos. Continue a leitura para entender a aplicação dos eletrodos, a função de ressecagem, os tipos e melhores modelos de estufas para isso, bem como orientações e dicas sobre a manipulação dos eletrodos revestidos. Fator determinante em toda sua vida útil e seus resultados.

Onde os eletrodos são utilizados?

Esse tipo de material é aplicável e utilizado em diversas funções que necessitam de soldagem com eletrodos revestidos. Desde trabalhos com fundição, metalúrgica e indústrias químicas, até construção civil, manutenção, e serralherias. Em materiais como ferro, ferro fundido, prata, níquel, aço, alumínio e bronze.

Homem com EPIs soldando uma placa de metal

Para que serve a ressecagem de eletrodos?

De forma resumida, a função dos fornos e a ressecagem de eletrodos é de manutenção e conservação das características dos eletrodos. Ao aquecer e inserir os eletrodos nas estufas, elas vão atuar secando qualquer umidade presente no componente, mantendo ele seco, como precisa estar para o bom desempenho na hora da soldagem.

Eles também representam uma solução para revitalizar eletrodos que foram afetados pela umidade e no momento não estão nas condições ideais para uso. Nesse caso, é só inseri-los em uma estufa ou forno de secagem durante algumas horas para que eles retornem ao estado seco e perfeito para uso.

Pessoa com equipamentos de proteção individual e materiais de soldagem nas mãos

Um eletrodo úmido pode gerar diversos defeitos na solda, como porosidades pelo comprimento do cordão de solda, aparição de trincados nas laterais e em cima dele, respingos excessivos, instabilização do arco, e portanto, acabamentos ruins.

Estufa portátil para eletrodo

A estufa portátil é uma alternativa que pode ser ligada na máquina de solda, e possibilita que o soldador carregue ela em cima de uma estrutura, como para fazer um trabalho em um andaime ou uma tubulação, por exemplo. Além disso, elas possuem leds para indicar quando estão ligadas e quando o interior já está aquecido.

Uma ferramenta desenvolvida no intuito de facilitar o dia a dia do soldador, proporcionando praticidade no armazenamento do eletrodo, retirando dele a umidade e mantendo-o constantemente aquecido e seco. O que facilita o trabalho, agiliza o processo, e otimiza a qualidade da solda.

Essas estufas, quando aquecidas, são capazes de armazenar tipos de eletrodos com diferentes comprimentos e trabalhando em uma temperatura de 0 a 150 graus.

Estufa para eletrodo amarela em um fundo branco

Melhores modelos de estufa portátil para secagem efetiva

Dentro da estufas portáteis existem três diferente tamanhos e modelos:

  • ECG 35 (suporta eletrodos de até 350mm);
  • ECG 45 (suporta eletrodos de até 450 mm);
  • ECG 5 (suporta até 5kg de eletrodos).

1. Estufa ECG 35

O primeiro modelo de estufas suporta eletrodos de até 350mm, comumente possui 80 volts em corrente contínua, e vem normalmente com duas garrinhas – sendo uma o grampo terra e a outra o porta eletrodo – que são ligadas no transformador de solda.

Estufa ECG 35 na cor verde em um fundo branco

2. Estufa ECG 45

No caso da estufa ECG, são suportados eletrodos de até 450 mm, e você pode encontrá-la na versão de 80, ou 220 volts para energia elétrica convencional.

Estufa ECG 45 verde em um fundo branco

3. Estufa ECG 5

A estufa ECG 5 é a maior das opções, suportando até 5kg de eletrodos no comprimento de até 450mm. Nesse modelo existem três possíveis versões: 80 volts e corrente contínua que vem com um padrão de garrinhas; 110 volts e corrente alternada, que nesse caso vem com tomada; ou 220 volts também com plug de tomada para energia convencional.

Estufa ECG 5 na cor verde cintilante em um fundo branco

Forno para ressecagem de eletrodo

Além das alternativas de estufa portátil, existe outra forma mais robusta e de maior capacidade para conservar os eletrodos: os fornos para ressecagem de eletrodo. Essa opção suporta entre 50 e 200kg desses pólos, uma capacidade muito superior quando comparada às estufas portáteis.

Apresentando maior vantagem no quesito capacidade, enquanto no caso das estufas portáteis, o destaque é a quantidade. Além disso, por serem maiores, estes fornos podem ser usados para diversas finalidades. Costumam receber componentes de até 450mm, possuir diversas prateleiras, e trabalhar em até 400°C!

Forno amarelo para ressecagem de eletrodos

Manuseio de eletrodos revestidos

Durante todos os processos que envolvem a utilização e conservação de eletrodos, um ponto muito importante, que pode ser determinante e por isso merece destaque é o manuseio dos eletrodos revestidos.

Vários eletrodos revestidos

O melhor meio de transporte para eles é por meio de paletes. Dessa forma é possível evitar danos e batidas no produto, mantendo a integridade original. É importante que as latas sejam armazenadas em posição vertical, com as pontas viradas para baixo, de forma que preserve a parte mais sensível dos eletrodos, as pontas de arco.

Gostou do conteúdo? Para mais informações sobre soldagem, lixadeiras, esmerilhadeiras e similares basta continuar acompanhando as postagens do blog. Aproveite e confira como funciona o processo de soldagem por resistência. É uma maneira rápida e prática de ficar por dentro do processo!

Casa do Soldador

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços e personalizar nossa publicidade. Ao prosseguir navegando, você aceita esta política de monitoramento. Para mais informações, consulte nossa Política de Privacidade